O que é a Terapia Cognitiva?

A Terapia Cognitiva (TC) foi idealizada por Aaron Beck e colaboradores na década de 50 e hoje constitui uma das principais abordagens psicoterápicas utilizadas no mundo todo para o tratamento de um amplo espectro de transtornos psicológicos e psiquiátricos. Amplamente testada em inúmeros estudos científicos, a terapia cognitiva tem a sua eficácia comprovada no tratamento dos transtornos depressivos, transtornos de ansiedade, dependência química, transtornos de personalidade, entre outros.

É um sistema de terapia diretivo, semi-estruturado, eficaz, de tempo limitado, orientado a solução de problemas e que utiliza técnicas e estratégias baseado no modelo cognitivo. O seu modelo clínico visa 2 objetivos básicos: Desenvolver habilidades para resolução de problemas e reestruturação cognitiva.

O modelo cognitivo propõe que não são as situações, mas a forma que interpretamos as situações que influencia a forma como nos sentimos e nos comportamos. Alguns indivíduos, ao longo de suas vidas vivem experiências que os levam a desenvolver esquemas e crenças disfuncionais, o que os predispõe a interpretar as situações de forma distorcida. A essa tendência denominamos Vulnerabilidade Cognitiva. Determinados eventos de vida podem tornar esses esquemas e crenças negativos hipervalentes em indivíduos vulneráveis, levando-os a sofrimento emocional.

Durante o processo psicoterápico, paciente e terapeuta trabalham colaborativamente, a fim de avaliar, testar e modificar suas subposições e crenças subjacentes. O objetivo final da Terapia Cognitiva é o de promover a reestruturação cognitiva do paciente, a fim de capacitá-lo, a partir daí, a processar e a responder ao real de forma mais funcional

Os pacientes aprendem a identificar e a modificar as cognições que os levam ao estresse, buscar interpretações alternativas às situações e a implementar estratégias eficazes de resolução de problemas. Essas estratégias poderão ser usadas pelo paciente pelo resto de suas vidas, tornando-os seus próprios terapeutas ao final do processo.

O processo terapêutico é limitado, orientado para o presente e dura em geral entre 12 a 24 sessões.